quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

| REVIEW | Cold Case :: 6x09

:: 06x09 :: "Pin Up Girl"

Em 1953, Rita Flynn, uma famosa garota 'pin up', foi achada morta em seu apartamento e acharam ter sido um maluco qualquer. Hoje, um fã da época, mostra um livro onde encontrou a foto do crime e mostra a Lily que tem uma foto no mesmo local, com a mesma roupa e tudo diz ser na mesma noite. O carimbo diz ser Stanley alguma-coisa, mas quem será esse fotógrafo que tirou sua última foto?
Antes de tudo, permita-me explicar o termo 'pin up' (pendurar, em inglês). Pelo que li, nos anos 50 tinham essas revistas onde geralmente moças belas e famosas pousavam com saltos altos, maquiagem e decotes ousados, ou seja, diferente da maioria das mulheres de sua época, o que gerava polêmica. Bem, o lance é que elas faziam sucesso entre os soldados que lutavam na Segunda Guerra Mundial, que penduravam suas fotos nos armários e tudo. Bettie Page, Betty Grable e Marylin Monroe já pousaram pra esse tipo de foto.
De volta ao episódio... chega ao elenco regular da série, ou só da temporada, não sei, a Alexis de "Lost", Tania Reymonde, como Frankie, uma técnica de fotografia que dá grande ajuda no caso e chama a atenção de Scott, e claro, ele não perde tempo. Enquanto Nick se distrai folheando as revistas antigas, o pessoal corre atrás do grupo que ficava com Rita, que incluía seu chefe e dono da revista, o fotógrafo-namorado e a amiga dela.
Como sempre, cada um vai jogando a coisa pro lado do outro. Um fã perseguidor da época fala sobre uma discussão entre Rita e a amiga, o fotógrafo-namorado só fala de sua paixão, e o chefe de seu entusiasmo. Lily descobre que o nome Stanley não-sei-o-que é uma junção de nomes, enfim, o lance é que
o tal Stanley na real é a própria Rita, que havia descoberto o gosto pela fotografia, mas não na frente das câmeras.
Quando eles pensavam que o chefe da época talvez ficasse com raiva da quebra de contrato, na real, ele foi o único que a apoio e até iria contratá-la como fotógrafa de sua revista. Daí a corda
puxou pro lado do namorado-fotógrafo, que na real, não era nada sem as fotos que tirava dela. Mas, ele viu as fotos, ficou com inveja e a única coisa que fez foi ignorar e a relação terminou. É ele quem dá a pista final pros detetives: uma bolsa na cena do crime estava com a amiga no mesmo dia.
Aí pronto, veio a reviravolta, que não é tão surpresa tbém, mas enfim. A então amiga de Rita, que tava na cara que tinha uma baita inveja da moça, chegou um dia na casa dela toda chateada e bebum porque o cara com quem ela saiu só queria saber de um autógrafo de Rita! Reclamando da própria sorte, e cheia de ódio, a moça descontou atirando e matando ela. Mais uma vez, a inveja motivou um crime. No final, uma daquelas músicas
típicas da época, bem legal. Fico meio triste nesses episódios que a pessoa descobre o que quer ser da vida, ou tipo isso, e acaba morrendo antes de realizar-se. Chato.
Ah, e no fim, Scott teve um 'encontro' divertido com Frankie, jogando beisebol. Mais uma conquista pra Scott e praticamente zero pra Lily, já que o Eddie deve ficar a vida toda naquela missão dele. Ou então, caso a série dele seja cancelada, mas nem estreiou ainda. Então, nessa temporada ele praticamente não deve voltar, que pena.

Um comentário:

francisco pacheco disse...

Eu adoro está serie, ainda mais com está trilha sonora que ela tem.
tenha uma otima quinta Luly
bjss