terça-feira, 19 de março de 2013

| REVIEW | Once Upon a Time - 2x17


:: 2x17 :: “Welcome to Storybrooke”
Caramba, foi impressão ou teve uns furos nesse episódio? Tirando isso, a parte toda do flashback foi bem interessante principalmente pra matar as saudades de um certo Xerife que saiu cedo demais da série. Fora que apesar dos pesares, finalmente deram algum sentido a participação daquele cara do acidente! E foi até surpreendente a história. Mas serviu também pra me deixar novamente confusa com os números/anos.
Bem, o título do episódio tem tudo a ver com a história do flashback. Por que agora além de Fairytale Atual (que nem tem mais), Old Fairytale, tem Storybrooke Atual e Old Storybrooke! Tipo isso, rs. Volta ao ponto onde tudo começou, assim que a maldição foi feita e bum!, todo mundo foi parar naquela cidadezinha sem ter ideia de nada e Regina ficou toda feliz por ter conseguido a vitória. Só não contava com um pai e seu filho que acampavam na floresta, só viram um vendaval e do nada uma cidadezinha e foram lá procurar um lugar pra ficar. 


Esses intrusos incomodaram Regina no começo, mas quando ela passou a ficar enjoada de viver no estilo do filme "Feitiço do Tempo", acordando e tudo acontecendo igualzinho, mudou de ideia. O garotinho, Owen, era o único que não seguia tudo conforme ela queria, assim como o pai dele. Vá entender. A bruxa consegue tudo o que queria e fica entediada. Aff. E olha que ela nem podia reclamar já que sua rival Mary tava na dela, visitando David no hospital sem ter ideia de quem era (wait, foi Regina que mostrou ele pra ela? Não sei disso não), fora que tinha como companheiro de cama o Xerife Graham. Aike saudades... Engraçado é que isso tudo foi em 1983 e, tipo, a galera usando basicamente as mesmas roupas de hoje em dia, né? Fora que não ganharam uma ruga, mas isso até deixo passar porque eles ainda tavam na maldição e tal. Anyway, o lance é que Regina curtiu a companhia de Owen e o queria por perto, mas como o pai dele queria ir embora, hum, ela não curtiu muito.
Saindo do passado, para o presente na Atual Storybrooke, Mary toda depressiva e Henry ligado no revoltz ao saber o que a avó andou aprontando pra se livrarem da vilã. Enquanto isso, Regina se prepara para lançar um feitiço para que Henry a ame e para isso terá de arrancar o coração da sua inimiga nº1: Mary. Gold fica sabendo disso, e sabe-se lá porque, foi legal o bastante pra ir contar a David e Emma. Duh, claro que ele deve ter algum plano por trás disso.


Sabendo que o filho tá na reta, Emma pede pra Neal convencê-lo a ir com ele pra Nova York, mas o menino não quer saber disso e nem de nada. Na verdade ele ligou no revoltz e partiu pra floresta. O moleque quer explodir o poço achando que assim acabará com a magia e tudo ficará bem entre todo mundo. Mas Regina chegou explicando que não é bem assim as coisas e pronta pra dispensar David e seu revólver (seriously, cadê as espadas??? rs), só que novamente, depois de um discurso de dar enjoo do menino, ela atendeu ao pedido do filho e desistiu do feitiço. Regina pode até ter esquecido disso, mas quando Mary Margaret chega com cara de pidonha implorando pra ter seu coração arrancado pela megera, a prefeita não deixa passar. Só que, ela preferiu deixar Mary com seu coração que não é mais tão puro sofrendo. Acha que isso vai destruir a família e trazer Henry de volta pra ela. Hum.
Well, de volta ao Old Storybrooke, Regina forever alone foi no desespero para impedir que os forasteiros fossem embora e acabou sendo descoberta pelo pai do garoto, que mandou ele fugir. Bem, o cara viu que ela tava com um coração brilhante na mão mandando no Xerife, coisa boa não era, né? O molequinho se foi e quando tentou volta, cadê a cidade? Ou Regina fez algo pra sumir ou era assim mesmo pra quem saísse, virava invisível. Só agora, 30 anos depois o little Owen achou a cidade de novo. Ele é o forasteiro que se acidentou quando teve o lance da Bela e do Gold usando mágica. Então, o cara tá atrás do pai e sabe-se lá porque anda gravando as mágicas que vê, não sei pra que isso vai servir. Será que ele pensa em usar isso pra conseguir algo? 


Fiquei meio confusa com algumas coisas. Fora o lance da Regina ter mostrado o David pra Mary no hospital, e do Gold aparentemente não lembrar de nada (mas podia tá mentindo, né?). A temática "Feitiço do Tempo" também foi estranho, por isso acho que alguma coisa deve ter acontecido pras coisas mudarem. Acho que foi a chegada do Henry que mudou tudo. Quer dizer, mais ou menos né, na verdade tá tudo igual. A galera não ganha uma ruguinha, né? Será que agora com a maldição quebrada o povo vai começar a envelhecer direito? E o pai do Owen, estaria vivo? E, principalmente, vem aí uma #DarkSnow?
No fim, se for ver, tudo isso aconteceu (além dos objetivos do Rumpels) pela Regina ser tão forever alone. Ela pode ser a Rainha Má, mas sinto pena dessa solidão. Ela só quer ser amada, coitada. O pequeno Owen despertou nela essa vontade, mas como conseguir algo de verdade na cidade onde todos seguiam como ela queria? Triste. Eu tô é querendo que chegue logo o próximo episódio, porque depois de matar a saudade do Graham, vou poder matar a saudade de outro... no spoiler. rs

VEJA A PROMO DO PRÓXIMO EPISÓDIO (Clique a seguir)

Um comentário:

Patricia Garcia disse...

Bonita, amei sua review. Não conhecia o seu site mas adorei! Parabéns! O lance do Gold não lembrar vem lááááá da primeira temporada: ele lembrava sim, só tava fazendo a egipcia pra Regina não perturba-lo e ele se focar na busca pelo Bae. Quanto ao "Fetiço do tempo", lembra que la no começo havia a historia do relógio e do tempo que não andava? O relógio so começa a funcionar qndo a Emma chega a cidade. Quanto a Regina ter mostrado o Charming pra Snow: na 1ª temp nunca foi dito cm ela chegou ao quarto dele, so sabiamos q ela era voluntaria no hospital. Mas acho que Regina mostou-o a ela para saber se a maldição tbm teria funcionado nos sentimentos, para ter certeza quenão ficariam juntos. Acho que é isso. rs Adorei a review! Beijos